FATOS CURIOSOS SOBRE AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ

Autor: Hélio Eduardo de Souza, pastor da Igreja Batista no Bairro Sapucaia, Baixo Guandu, ES

Foi adepto da seita dos 15 aos 35 anos, tendo passado pelos postos de liderança na organização.

E-mail: hes.carmen@hotmail.com

Valor Unitário do livro: R$15,00 (quinze reais), incluindo 20 folhetos "Porque deixamos as TJ" e um guia rápido sobre outras seitas, mais o porte do correio

Caixa Postal 71

29730-000 Baixo Guandu ES

 

Para você poder avaliar o valor do livro acima, e quão importante é tê-lo, leia a seguir um trecho da obra OCULTISMO NA TORRE DE VIGIA, lançada pelo pastor HÉLIO EDUARDO ainda nos anos 90.

CAPÍTULO 1

 OCULTISMO NA TORRE DE VIGIA

 A SOCIEDADE TORRE DE VIGIA, que lidera a obra das Testemunhas de Jeová no mundo inteiro, foi acusada de envolvimento com o ocultismo esotérico ao colocar certos desenhos ocultos nas gravuras de suas revistas e livros. O membro que fez tal acusação, o sr. Darek Barefoot, foi sumariamente desassociado (banido) do Salão do Reino e proibido de divulgar a sua descoberta. Todos os seus parentes que tomaram conhecimento de suas pesquisas também foram desassociados por não terem comunicado à Sociedade de antemão.

Entre as Testemunhas de Jeová prevalece um código de silêncio em que a Sociedade Torre de Vigia obriga os demais membros a cortarem relações com o membro desassociado do grupo, até mesmo negando-lhe a fala! Nem mesmo é permitido cumprimentá-lo! (A Sentinela l5.l2.81) Todas as Testemunhas de Jeová observam fielmente este “código” com medo de serem desassociadas. Desta forma, a Sociedade fica protegida e o assunto é esquecido. Outras vezes, ela publica em suas revistas matérias para alertar os seus membros a não darem ouvidos a boatos ou rumores infundados sobre ela. Foi assim com a revista “Despertai!” de 8.2.89, em que a Sociedade escreveu que era ridículo tal assunto sobre imagens ocultas em suas literaturas, e que os leitores não deveriam dar crédito a tais acusações. Desta forma encerrou o assunto. Contudo, em outra edição, procurando atacar a igreja católica e suas imagens de Maria, ela disse que uma “organização que assume um papel significante no mundo deve estar disposta a ser esmiuçada e criticada, e que os que criticam têm a obrigação de ser verdadeiros na apresentação dos fatos “ (V. “Despertai!” 22.l2.84 p. 28)

Mas, aplica a Sociedade Torre de Vigia este princípio a si mesma? (Romanos 2:21) Isto não parece acontecer; pois, ao escrever novamente sobre a igreja católica e suas imagens de mãe e filho da Virgem Maria, disse que “as similaridades com a deusa pagã Ísis são numerosas demais para serem meras coincidências”. ( Sentinela l.7.91, p. 7)

A fusão de imagens consiste num processo em que um desenhista habilidoso consegue executar um desenho principal sem que um outro secundário seja notado abertamente. Isto acontece ao se transformar o desenho secundário em rugas ou traços que confundem a visão do observador leigo. Assim, são colocados outros desenhos e certas letras esotéricas que transmitem idéias e ensinamentos herméticos.

Este artifício foi utilizado amplamente por escritores e pintores renascentistas para fugirem das críticas e perseguições da Igreja na época da escuridão religiosa. Pintores famosos, tais como: Leonardo Da Vince e Miguel Angelo usaram amplamente esses métodos em suas pinturas famosas. (Ex.: “A Última Ceia”, “A Criação do Mundo”, etc.) No Brasil, um escultor famoso, conhecido como “Aleijadinho”, usou muitos sinais cabalísticos para divulgar secretamente a sua identidade com a Maçonaria Templária, que era perseguida pela igreja católica naquela época. Esse escultor, mesmo trabalhando para a igreja católica, deixou suas “marcas maçônicas” em suas obras de arte. Até mesmo os nomes de seus “Onze Profetas” formam o seu nome, numa espécie de acróstico: “Aleijadinho”! Os dedos de alguns dos seus profetas estão dispostos de certa forma que lembra a letra “M” ( de Maçonaria), que era uma forma secreta de comunicação entre os maçons do século XVIII. Este código é usado amplamente pela Sociedade Torre de Vigia em suas ilustrações. Coincidência? Dificilmente poderia ser coincidência, já que as incidências são “numerosas demais”. Vejamos: Letras Esotéricas: “A”, “E”, “ES”

Essas letras são usadas por várias sociedades secretas e têm vários significados. Entre eles, podemos ver a letra “A” significando uma espécie de sociedade que prevaleceu no período Hippie: a “Sociedade Alternativa”. Representa também um talismã (pentáculo) onde o nome do portador é posto entre as pernas desta letra para sua proteção. Representa também o “pentagrama”, ou estrela de cinco pontas, que é o símbolo esotérico do homem perfeito e, de forma invertida, representa o diabo ou o homem decaído.

A letra “E” representa o mesmo pentagrama, pois é a Quinta (5) letra do alfabeto hebraico antigo e do alfabeto grego e latino! As letras “ES” ou “S E” juntas aparecem no “Manual de Magia” , de Papus, como representando o nome cabalístico do Sol. Também, entre os Dervixes, uma seita mágica dos muçulmanos, essas letras simbolizam o Deus Absoluto (En Soph ou “ES”) – Veja o livro ”Os Sufis”, da editora Cultrix.

Essas letras aparecem com certa freqüência em várias figuras que ilustram os livros e revistas da Sociedade Torre de Vigia. Elas podem ser vistas com certa facilidade em alguns desenhos, uma vez conhecido o seu segredo, ou seja, procurando-as entre o desenho principal!

[....]

OUTROS TEXTOS

VOCÊ CONHECE A HISTÓRIA ESTA CASA?

CUIDADO COM OS FALSOS PROFETAS!

GUIA RÁPIDO SOBRE AS SEITAS

SANGUE NO ALTAR